Cachorro fazendo coco contaminado

Apesar de em algumas situações achar particularmente engraçado, os cães podem ser bem bagunceiros, e se você tem um assim em casa, é ainda mais importante ficar atento a qualquer tipo de mudança no comportamento dele.

Porque estou dizendo isso? Normalmente, donos de pets mais arteiros não costumam dar muita bola para a diarréia, por exemplo. É bem provável que ele vá pensar que o cão comeu algo que fez mal, o que realmente pode acontecer. Mas sabia que esse é um sinal de giárdia canina? Uma doença altamente contagiosa.

Giárdia canina, o que é?

A Giardia canina é uma mazela parasitária, o que quer dizer que ela é causada por um parasita, o giardia lamblia.

Ela acontece quando o protozoário entra no corpo do cão e se aloja no trato intestinal, provocando lesões no intestino do seu amigo. Isso resulta, entre muitos sintomas – que vamos falar mais para frente -, em diarréia, vômitos, dores abdominais, entre outros.

Além de tudo isso, ainda é uma zoonose, o que quer dizer que ela pode ser transmitida para seres humanos. E apesar de ser chamada de giárdia canina, ela também pode infectar outros animais, como gatos e até aves.

O que quer dizer que a atenção tem que ser redobrada neste caso.

Como reconhecer os sintomas da doença?

filhote sendo examinado por veterinario

Após adentrar o organismo do pet, o parasita vai para o intestino e começa a crescer e a se reproduzir. Com isso, o cão já começa a sofrer as primeiras consequências do problema, ou seja, lesões nas células intestinais, além de ter dificuldade na ingestão e absorção de nutrientes.

A partir daí, observe se o seu cão vai apresentar os seguintes sintomas:

  • Diarréia líquida ou pastosa com mal cheiro;
  • Vômito;
  • Muco ou sangue nas fezes;
  • Gases;
  • Dores abdominais;
  • Perda de peso;
  • Falta de apetite;
  • Prostração.





Em casos em que a doença já estiver mais avançada é comum que o cachorro também apresente uma desidratação bem severa, o que é bem perigosa para a vida do pet. Por isso é de extrema importância saber identificar os sintomas e se, observar algum deles no seu cachorro, ir direto para um veterinário.

Como é feito o diagnóstico dessa doença parasitária?

Normalmente o maior indício é através de uma diarréia com odor forte, mas para ter certeza o veterinário precisa pedir alguns exames, entre eles três de fezes seriados, o PCR (proteína C-Reativa) e a sorologia. Estes são testes específicos para esse tipo de diagnóstico.

Muitas vezes, na primeira amostra já é possível encontrar o parasita. Em casos que isso não acontece, então outros exames são solicitados.

A transmissão da giárdia dos cães é feita de que maneira?

O cão se infecta com a giárdia a partir do momento que ele ingere os oocistos do parasita. Estes podem estar na água, na comida ou mesmo nas fezes de outros animais que o seu peludo teve contato recentemente.

Quando entra no organismo, o cão começa a eliminar os oocitos em suas próprias fezes, e aí é que está o problema. Mesmo saindo das fezes, estes podem sobreviver por meses no ambiente, o que acaba aumentando as chances dele se infectar de novo, assim como atingir outros animais da casa, assim como o próprio tutor.

Em casos que o pet já apresenta sintomas, redobre os cuidados na hora que for manusear as fezes dele, assim como no momento de brincar com ele, lavando bem as mãos logo em seguida.

Como os cães podem passar essa doença para um ser humano?

A transmissão do cão para o tutor acontece principalmente na hora de manusear as fezes do cachorrinho, assim como após brincar com ele, principalmente se você levar a mão na boca antes de lavá-la.




Quais são os tratamentos mais indicados para combater a giárdia canina?

Além dos remédios que são receitados pelo veterinário, boa parte do tratamento da giárdia envolve a limpeza constante do local onde o pet dorme e transita, assim como dos seus pertences, como cama, pote de água e comida, brinquedo e roupa. Esse cuidado garante que o cão não vai ser reinfectado durante e depois do término do tratamento.

Outro ponto importante é manter os banhos do seu amigo em dia durante essa fase, isso porque os oocistos podem ficar grudados no pelo dele. Então é bom manter uma rotina regular de higiene corporal.

Já para os casos que o cachorro está desidratado por conta do vômito, é provável que o veterinário receite a administração de soro fisiológico para repor os eletrólitos.




Por fim, se você tem outros animais em casa, é primordial fazer o exame e, se preciso, iniciar tratamento para todos os pets. Isso porque alguns deles podem não apresentar sintomas, sendo assintomáticos.

O que fazer para prevenir a doença?

A melhor forma de evitar a giardia está principalmente na limpeza. Sendo assim, é importante que você mantenha o ambiente e os acessórios do seu cão sempre limpos.

Tome cuidado também na hora que for levar ele para passear, evitando que ele entre em contato com as fezes de animais desconhecidos.

Para os cães que convivem diariamente com outros, aqueles que frequentam daycare – hotelzinho -, é bom você conversar com o veterinário para fazer a vermifugação a cada quatro meses. Agora, se o pet não sai muito de casa, o intervalo pode ser o recomendado, a cada seis meses.

imagem de giardia canina vista em microscopio

E por fim, mas não menos importante, você pode vacinar o seu amigo de quatro patas contra a giárdia. Apesar da vacina não ser 100% eficaz, ela ajuda a deixar os sintomas mais brandos caso aconteça uma infecção, o que já conta muito.

A giárdia canina tem cura?

Tem sim, é só seguir as recomendações de tratamento dadas pelo veterinário que muito em breve seu amigo estará novinho em folha.

Para que o seu amigo esteja sempre protegido dessa e de outras doenças, não deixe de manter a carteirinha de vacinação dele em dia, assim como a aplicar outros medicamentos necessários para protegê-lo.

E claro, se observar qualquer sintoma, vá imediatamente para o veterinário. Nos primeiros estágios, mesmo não sendo tão grave, é uma doença que com certeza vai causar desconforto para o seu cachorro.

Clique aqui conheça o que causa, os sintomas e como tratar a Displasia Coxofemoral




Loading...